Você sabe que é "cachorreiro" quando...

Você tem mais camas de cachorro, brinquedos para morder, coleiras, etc. do que tem cachorros.

Você conhece outras pessoas com cachorros, e se lembra do nome dos cães depois de 30 segundos, mas não consegue lembrar o nome do dono até que você o reencontre 2 ou 3 vezes.

Você não pensa duas vezes em alternar com seu cão as lambidas a um sorvete.

Seus pais perdem o interesse em netos e começam a se referir a seus cachorros como " suas crianças ". (Vantagem: você pode começar a chamá-los de "nossos granddogs").

90 por cento de seu tempo de conexão na Internet é gasto pesquisando sobre a raça de seu cão, se informando sobre listas de discussão, procurando fotografias, sons e conversando com veterinários

Você tem centenas de fotos de seus cachorros em sua escrivaninha, no trabalho, em sua carteira, etc., mas nenhum de sua família ou você.

Ninguém quer viajar em seu carro porque, com certeza, sairão dele cheio de pêlos de cachorro nas roupas.

Você já discutiu por muito tempo com seus amigos sobre o melhor modo de aparar o unhas de seu cachorro, mas nunca teve uma manicure ou pedicure para você mesmo.

Se você lê um livro ou assiste a um filme, onde as referências de cachorro estão incorretas, este livro ou filme já não presta para você.

A melhor coisa de seu dia é passar o tempo com seu cachorro.

Você assiste filmes simplesmente terríveis porque sua raça preferida é caracterizada em uma determinada cena.

Todas as suas roupas têm pêlo de cachorro nelas, até mesmo quando voltam do tanque ou da lavanderia a seco.

A primeira coisa que seus amigos, colegas, e conhecidos dizem a você quando o encontram é: "Como estão passando os cachorros", ou: "quantos cachorros você tem agora" ?

Seus cartões de Natal são, obrigatoriamente, com fotos de cachorros (os com fotos humanas são opcionais).

Extraído do site www.blacklab.com.br